Log da semana: a 7 semanas do IMBR14

Começou o último bloco dos treinos, o autor do método que sigo disse que um triatleta iniciante poderia cumprir um IronMan somente com treinos de base, resolvi com o passar do tempo em passar estas três últimas semanas de forma mais intensa, o cansaço tem sido constante sobretudo nos treinos de corrida, mas consegui ter uma semana bem produtiva. 16:15hs de treino: 50 minutos de uma musculação mais leve somente para manutenção, 3:40hs de natação, 5:38hs de corrida e 6:11hs de ciclismo. Li em um texto no site do IronMan que, melhor do que fazer um treino simulando a maratona, era fazer pequenas corridas durante a semana, e foi isso que aconteceu essa semana, corri em cinco dias essa semana, o longão da terça foi meio devagar, treinei no final do dia, e após as 18:30, os treinos no Horto Florestal lembram muito meus pesadelos de criança, um lugar totalmente escuro, com prédios apagados, só faltavam as portas abertas que puxavam para dentro…

O longão de ciclismo foi animal, a base aérea já está com aquele clima de IronMan, cheguei lá às 06:00 e já estava meio cheio com todo pessoal já aprontando suas bicicletas para os treinos. Neste dia, planejei 50 Kms mais leves, depois 50 Kms no pace do IronMan e 50 Kms em um pace acima do IronMan, planejava um longão de 5:30hs, por isso mesmo até acordei uns 30 minutos mais tarde. Comecei os primeiros 50 Kms de boa, sempre me lembrava que não era momento para puxar, mas tinha uma velocidade média já boa comparado aos treinos anteriores 28 Km/h, por isso mesmo ficava meio preocupado no passo seguinte, nos 50 Kms seguintes tentei manter um ritmo normal sem forçar tanto, pedalei com vontade e cheguei aos 31.25 Km/h, pensei mais uma vez que estava antecipando o passo seguinte, passou os 100 Kms do meu relógio e comecei a forçar o pedal fiz os primeiros 29 Kms a 31.6 Km/h, algo fantástico para o meu nível, até que na volta seguinte minha coxa direita começou a puxar, tive que administrar algumas dores abdominais e não consegui manter o mesmo ritmo, de qualquer forma me mantive no treino até cumprir os 50 Kms com 29.1 Km/h, nada mal, terminei o treino com menos de 5:10hs. Só que não sobrou quase nada para a corrida, a perna ainda puxava e o calor estava forte, me arrastei para uma voltinha de 1.4 Kms. Dessa vez, esse treino me cansou bastante, à tarde a outra coxa chamou a atenção com uma senhora câibra, mas o objetivo foi atingido, precisava de um pouquinho mais de energia.

Tenho mais 6 semanas pela frente, isto é, mais 2 semanas de construção, 1 de restauração, 2 de administração do pico e a última de polimento, já tenho os treinos chave praticamente na cabeça e até com data marcada. Vamos agora a ação. Boa semana!


Do meu playlist: Extreme Ways, Moby

Primeiro eu curti muito essa música da trilogia Bourne, os filmes estão certamente no meu top 10. Até que ouvi a música em um desses vídeos de outros triatletas, achei que a música casou demais com o dinamismo de uma prova de triathlon.
Quando pensei em montar uma playlist, pensei nessa música e foi a primeira que comprei para isso, em um dia na esteira, a música apareceu no meio do shuffle (faço um shuffle aleatório de todas as músicas do meu Iphone) e me deu uma energia! Aumentei a velocidade.
Se Deus quiser, vou ouví-la no caminho para a largada.


Log da semana: a 8 semanas do IMBR14

Não faltam nem mais 50 dias para o IronMan, faltam 49 dias tenho 4 semanas bem sérias pela frente, as últimas duas foram um pouco bagunçadas, consegui fazer 16:44hs de treino na penúltima semana quando foi a 3a semana do bloco, tive que ver um estalo estranho na bike (1 hora a menos) e passei uma noite animada envolvido em um tema da empresa, além disso fiz uma segunda sessão de musculação bem pesada que prejudicou meus treinos do final da semana. Essa semana  treinei 12:13hs, quando teria que pegar um pouco mais leve, o cansaço tem aparecido mais, minha nutricionista prescreveu Whey Protein e BCAA para os próximos treinos mais pesados, e para evitar a bagunça do mercado de suplementos, fizemos os suplementos em uma farmácia de manipulação. Essa semana passei em Buenos Aires e sinceramente o stress do trabalho me deu um clima “not in the mood” para os treinos, todo dia normalmente eu checo quantos dias faltam para prova, penso na prova no caminho para o trabalho e essa obsessão tem me acompanhado desde o dia da inscrição, e não foi assim, lá chegava todo dia bem cansado ao hotel, mesmo assim, consegui fazer um treino na esteira e outro em um lugar muito bonito (acho que foi em Palermo) com a companhia de vários corredores que praticam lá toda semana. Tentei nadar um pouco, mas a piscina é curta e a água é meio amarga, fiz 20 mins e acabei. Aqui, eu já consegui tirar o atraso, 6 horas de pedal no sábado quando comecei meio devagar, mas pude terminar bem melhor (engraçado) até a corrida foi boa.

Estou assistindo mais vídeos do IronMan do ano passado, ainda me emocionando várias vezes, imagina daqui a 49 dias!


Inspiração para o final da semana: IronMan Melbourne

IronMan na Austrália, paisagem fantástica e vibração esportiva enorme dessa cidade australiana.


Do meu playlist: Separate Ways, Journey

A música é uma senhora fonte de energia (psicológica) para os treinos e a vida em geral, já falei aqui do quanto algumas músicas me deram energia a ponto de aumentar a velocidade da esteira ou aumentar meu pace, por isso que comecei a montar minha playlist tanto para os treinos que faço como para meu caminho do hotel para a transição no dia da prova.
Embora minha filha tivesse me dado várias idéias de músicas com bastante energia, estou coletando algumas músicas que tenham algum significado pessoal para mim. Estes dias, na corrida ouvi essa música e me senti o verdadeiro Rocky Balboa, sim, essa música é bem anos 80! Daquelas que você fica esperando no final, o slogan, “Hollywood, o sucesso”. Ah, sei que essa música não tocou em nenhum dos Rockys, mas as músicas do filme tem muita cara do Journey.


Log da semana: a 10 semanas do IMBR14

Mais uma semana fora do padrão, nessa segunda semana comecei aumentando a carga dos treinos, musculação mais forte, implementei os treinos de natação do livro que estou seguindo e estou com exercícios mais direcionados, e bastante exigentes, no treino de natação de 4000m, passei o dia com uma dor no braço que me encheu o dia inteiro, o gelo no final do dia resolveu a dor. Por falar nisso, nesse momento mais pesado e arriscado, tenho passado mais tempo aproveitando a excelente série “House of Cards” para um tempinho com as pernas esticadas e gelo no joelho.

Tive três treinos muito importantes que foram a musculação, o longão de corrida e os 4000m de natação, mas tirei o pé no final da semana para não estourar no Troféu Brasil. Acabei a semana com 10:06 horas de treino. Amanhã começa uma semana que parece normal, vamos ver…


Troféu Brasil de Triathlon 2014 (1a etapa): Log da Prova

Precisava de um teste e escolhi um triathlon Olímpico no Troféu Brasil, é bom colocar pra funcionar nossa habilidade de transições e se divertir com o nada/pedala/corre que escolhi como meu esporte. Mesmo sendo um teste, mesmo sabendo que estou fazendo muito mais que o que faria na prova de hoje, a tensão antes da prova apareceu, mal dormi à noite (minha dificuldade de acostumar com a cama do hotel também ajudou), mas toda expertise na logística e na organização me ajudou a fazer uma prova bem preparado.

ImagemNada como treino! Fiz a prova em  2:47hs, um tempo bem melhor que os 2:53hs que fiz há dois anos no mesmo circuito em Santos. Tive a natação mais desafiadora da minha vida lá, o mar não estava frio mas estava muito agitado, com uma arrebentação no há uns 100 metros da praia, eu, nadador de piscina não tenho a menor habilidade em nadar desse jeito, é engraçado, o pessoal sai correndo para o mar, mas parece que encontra um muro pela frente, afinal, tem que enfrentar estas ondas com bastante cuidado, muitos dos que estavam ao meu lado mergulhavam nas enormes ondas que vinham, e acompanhei o pessoal, cheguei na primeira boja já com um bom esforço, já estava pensando como seria a segunda volta quando estaria bem mais cansado. Na volta para praia, dei uma relaxada e deixava as ondas me levarem, mas procurei não abusar buscando que uma onda não me engolisse, teve umas duas ondas que me engoliram, mas mantive a estabilidade, voltei para segunda perna pensando se teria braço para tudo aquilo de novo, o pânico tentou aparecer, mas relaxei um pouco, coloquei um ritmo mais fraco, respirei melhor e segui adiante, contornei a primeira bóia, a segunda, e a volta, quase que enforquei uma mulher que apareceu com uma onda enquanto dava minha braçada, mas cheguei a praia muito satisfeito por ter passado pelo meu maior teste na natação.

Saí para o pedal, o circuito eu já conhecia, mas não tinha lembrado o quanto o caminho era acidentado, era difícil controlar a bike pedalando com o clip, o circuito tem um retão ao lado de um terminal portuário, na ida batia um vento enorme, na volta tínhamos o vento nos levando, mantive uma velocidade de 29.1 Km/h, esperava ter terminado melhor nessa, mas minha colocação geral foi muito boa, terminei no geral em 154 (de 185) e na bike, eu terminei em 138.

Saí para corrida ainda tinha disposição (acho que meus treinos de 6 horas de bike me ajudou bastante nisso), consegui colocar um ritmo no primeiro e segundo quilômetro abaixo de 6 minutos cada um deles, em alguns momentos via no meu relógio um ritmo de 5:30/Km, faz muito tempo que não corria dessa forma, até que terminei a primeira metade da corrida em 28 minutos na segunda volta senti que podia manter o ritmo, e terminei os 10 quilômetros em 55:50 minutos, o que o treino não faz, não é verdade? 


NOSSO DIÁRIO DE TREINO

Informações sobre treinos e corridas de rua

Hearts and Minds

O que não muda é que tudo muda.

Memoriola

Just another WordPress.com weblog

Poesia no Caos

O desconhecido ainda está por vir...

Carlos Toledo em Ação

vivendo o dia a dia

life: caffeinated

sharing life & coffee together

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.