Arquivo do mês: março 2014

Inspiração para o final da semana: IronMan Melbourne

IronMan na Austrália, paisagem fantástica e vibração esportiva enorme dessa cidade australiana.


Do meu playlist: Separate Ways, Journey

A música é uma senhora fonte de energia (psicológica) para os treinos e a vida em geral, já falei aqui do quanto algumas músicas me deram energia a ponto de aumentar a velocidade da esteira ou aumentar meu pace, por isso que comecei a montar minha playlist tanto para os treinos que faço como para meu caminho do hotel para a transição no dia da prova.
Embora minha filha tivesse me dado várias idéias de músicas com bastante energia, estou coletando algumas músicas que tenham algum significado pessoal para mim. Estes dias, na corrida ouvi essa música e me senti o verdadeiro Rocky Balboa, sim, essa música é bem anos 80! Daquelas que você fica esperando no final, o slogan, “Hollywood, o sucesso”. Ah, sei que essa música não tocou em nenhum dos Rockys, mas as músicas do filme tem muita cara do Journey.


Log da semana: a 10 semanas do IMBR14

Mais uma semana fora do padrão, nessa segunda semana comecei aumentando a carga dos treinos, musculação mais forte, implementei os treinos de natação do livro que estou seguindo e estou com exercícios mais direcionados, e bastante exigentes, no treino de natação de 4000m, passei o dia com uma dor no braço que me encheu o dia inteiro, o gelo no final do dia resolveu a dor. Por falar nisso, nesse momento mais pesado e arriscado, tenho passado mais tempo aproveitando a excelente série “House of Cards” para um tempinho com as pernas esticadas e gelo no joelho.

Tive três treinos muito importantes que foram a musculação, o longão de corrida e os 4000m de natação, mas tirei o pé no final da semana para não estourar no Troféu Brasil. Acabei a semana com 10:06 horas de treino. Amanhã começa uma semana que parece normal, vamos ver…


Troféu Brasil de Triathlon 2014 (1a etapa): Log da Prova

Precisava de um teste e escolhi um triathlon Olímpico no Troféu Brasil, é bom colocar pra funcionar nossa habilidade de transições e se divertir com o nada/pedala/corre que escolhi como meu esporte. Mesmo sendo um teste, mesmo sabendo que estou fazendo muito mais que o que faria na prova de hoje, a tensão antes da prova apareceu, mal dormi à noite (minha dificuldade de acostumar com a cama do hotel também ajudou), mas toda expertise na logística e na organização me ajudou a fazer uma prova bem preparado.

ImagemNada como treino! Fiz a prova em  2:47hs, um tempo bem melhor que os 2:53hs que fiz há dois anos no mesmo circuito em Santos. Tive a natação mais desafiadora da minha vida lá, o mar não estava frio mas estava muito agitado, com uma arrebentação no há uns 100 metros da praia, eu, nadador de piscina não tenho a menor habilidade em nadar desse jeito, é engraçado, o pessoal sai correndo para o mar, mas parece que encontra um muro pela frente, afinal, tem que enfrentar estas ondas com bastante cuidado, muitos dos que estavam ao meu lado mergulhavam nas enormes ondas que vinham, e acompanhei o pessoal, cheguei na primeira boja já com um bom esforço, já estava pensando como seria a segunda volta quando estaria bem mais cansado. Na volta para praia, dei uma relaxada e deixava as ondas me levarem, mas procurei não abusar buscando que uma onda não me engolisse, teve umas duas ondas que me engoliram, mas mantive a estabilidade, voltei para segunda perna pensando se teria braço para tudo aquilo de novo, o pânico tentou aparecer, mas relaxei um pouco, coloquei um ritmo mais fraco, respirei melhor e segui adiante, contornei a primeira bóia, a segunda, e a volta, quase que enforquei uma mulher que apareceu com uma onda enquanto dava minha braçada, mas cheguei a praia muito satisfeito por ter passado pelo meu maior teste na natação.

Saí para o pedal, o circuito eu já conhecia, mas não tinha lembrado o quanto o caminho era acidentado, era difícil controlar a bike pedalando com o clip, o circuito tem um retão ao lado de um terminal portuário, na ida batia um vento enorme, na volta tínhamos o vento nos levando, mantive uma velocidade de 29.1 Km/h, esperava ter terminado melhor nessa, mas minha colocação geral foi muito boa, terminei no geral em 154 (de 185) e na bike, eu terminei em 138.

Saí para corrida ainda tinha disposição (acho que meus treinos de 6 horas de bike me ajudou bastante nisso), consegui colocar um ritmo no primeiro e segundo quilômetro abaixo de 6 minutos cada um deles, em alguns momentos via no meu relógio um ritmo de 5:30/Km, faz muito tempo que não corria dessa forma, até que terminei a primeira metade da corrida em 28 minutos na segunda volta senti que podia manter o ritmo, e terminei os 10 quilômetros em 55:50 minutos, o que o treino não faz, não é verdade? 


Alto risco

Descobri ontem que ainda tinha tempo para implementar a fase de “Peso Máximo” no meu programa de musculação, diminuí o número de repetições (de 15 para 10), aumentei o número de series (de 2 para 4), aumentei o descanso (de 1 para 2 minutos) e aumentei o peso de todos os exercícios para o possível para estas repetições. Devo fazer esta série mais duas semanas, pois deverei pegar mais leve a partir da 7ª semana antes da prova.

No entanto, como terei o Troféu Brasil no domingo e estava pensando em separar os longões de bike e corrida, havia colocado um longão de corrida para esta terça (depois de 21 kms meio sofridos no domingo), pensei bem, mas acabei saindo para correr, a intensidade não é muito grande, eu corro 10 minutos e descanso 1, mas o ritmo de 7’/km já mostrou claramente meu nível de cansaço desde o domingo. Meu medo era alguma lesão aparecer, pois estava forçando basante meu corpo sem muito descanso, de qualquer forma o corpo passou nesse teste e devo pegar mais leve até o final da semana, além de jogar a musculação para outro dia que não seja véspera de longão de corrida


Log da semana: a 11 semanas do IMBR14

Hoje estava correndo e me lembrava que em mais 10 semanas estarei nA CORRIDA! A 11 semanas do IronMan começa o período mais importante para o condicionamento para a prova, essa semana comecei em Buenos Aires e me virei com a estrutura do hotel onde fiquei, voltei para cá com pelo menos 4 horas de treino, entre eles duas corridas na esteira onde busquei correr 10 quilômetros cada. Chegando aqui já comecei um treinamento mais dirigido de natação com os exercícios do livro que já estava seguindo para corrida e para bike.

Com tudo, com tudo, terminei a semana com 14:45hs de treino: 8:16hs de bike, 1:39hs de natação e 4:49hs de corrida, o longão de hoje sofreu um pouco, deve ter sido por causa das 6 horas de bike de ontem e por causa do calor de hoje, devo mudar esse treino para terça para não acumular todos os treinos fortes para o final de semana. Essa semana também é incomum, pois vou terminá-la no Troféu Brasil em Santos, um triathlon olímpico (1500m de natação, 40km de bike e 10 kms de corrida) como teste para meu treinamento, como vou puxar o longão de corrida para terça vou perder somente o longão de bike, em função da prova de domingo, que tem sua importância.


Abstração

Não sei se esta é a palavra certa, mas isso tem sido resposta ao desafio de alguns treinos chatos que tenho. Como não vivo em uma cidade litorânea amigável a bicicletas onde poderia treinar no mar e fazer os treinos de bike na rua, tenho um rolo para fazer os treinos de bike na semana útil assim como arrumei (já falei anteriormente) um elástico para poder treinar na pequena piscina (para treino) que tenho em meu condomínio. Como não há muita novidade no trajeto o desafio é não ficar maluco olhando para o cronômetro para ver quanto tempo já tive de treino e quanto falta para terminar, e para essas coisas, o tempo não ajuda muito, pois você começa a nadar com elástico, pensa que já nadou muito e quando vê está próximo dos 10 minutos de treino, pensa que já pedalou muito e vê que passou somente 4 minutos da última vez que olhou para o cronômetro.

Então a respostas para mim foi “abstrair”, começar a pedalar e pedalar e pedalar e evitar olhar para o cronômetro. Isso me ajudou essa semana, treinei em uma piscina que também não era lá muito grande e não podia treinar com meu elástico (faço isso somente na certeza de que não vou monopolizar a escadinha), comecei a nadar e olhar somente quando tivesse alguma noção de que o treinamento realmente levou tempo, minha primeira olhada no cronômetro levou 25 minutos, foi uma vitória! A segunda olhada seria para terminar o treino, e assim foi: aos 46 minutos de treino.

Tenho levado isso para meus treinos longos de bike, hoje fiz por volta de 12 voltas no percurso de Cumbica, vou pedalando sem imaginar muito quanto já foi e quanto falta, somente nos últimos 100 minutos faço uma contagem regressiva. Tem funcionado!


IMAGES AND WORDS

A little bit of everything

Action Phase

Reviews e notícias sobre jogos de tabuleiro! Novatos, veteranos, curiosos e entusiastas: sejam bem vindos!

O Velhinho do RPG

Um blog dedicado a RPG, Board Games, Quadrinhos e nerdices em geral.

Coffee with the King

Daily bible study notes by Tim MacBride

nós ponto três

design.gastronomia.triathlon

Fernando Asdourian

Bem vindos, aqui alguns causos e umas aventuras esportivas por ai.

NOSSO DIÁRIO DE TREINO

Informações sobre treinos e corridas de rua

Godspace

spirituality, sustainability, hospitality and community

Hearts and Minds

O que não muda é que tudo muda.

Memoriola

Just another WordPress.com weblog

Poesia no Caos

O desconhecido ainda está por vir...

Carlos Toledo em Ação

vivendo o dia a dia

life: caffeinated

sharing life & coffee together