Arquivo do mês: março 2010

Na hora da terra

os Batistas na hora da Terra 2010

Iamos ter um jantar na hora da terra, mas as esfilhas chegaram antes e, com o cheiro e a fome não resistimos, mesmo assim, chegou 20:30, acendemos as velas e desligamos tudo. Às vezes é meio esquisito apagar tudo e estar tão claro lá fora, mas o momento era de festa ecológica para todos nós. Cantamos bastante, jogamos rouba-monte, demos espaço para ouvir das crianças como foi a semana e refletimos bastante na importância e o medo que muitos tem do silêncio. A mensagem do Rob Bell do Nooma, Noise, foi bem lembrada nessa hora, à medida que fugimos do silêncio, impedimos Deus falar. À medida que deixamos TV ligada e se não tiver TV, colocamos uma música para distrair começamos a ouvir muito nós mesmos, precisamos desse momento.

Meu filho dormiu no final e depois passamos um tempo em silêncio até o final, grande hora! Acompanhamos a hora da terra desde 2008 e nos entusiasmamos muito em fazer parte desse movimento no mundo inteiro.

Anúncios

Hora do Planeta 2010

Estamos Nessa!


Correndo na rua

Uma coisa muito legal de corrida na rua, é que correr na rua implica que você passe pelas ruas. Muitas ruas que outrora você passa de carro ouvindo rádio e preocupado com o trânsito à frente, agora você tem a oportunidade de passar em uma velocidade bem menor (às vezes nem tão menor assim), e também tem a oportunidade de sentir a textura da rua (conhecer melhor os buracos que você passa), e ver o que há ao redor de um ângulo muito diferente. E é isso que dá o charme de várias maratonas ao redor do mundo, onde você pode passar por lugares muito conhecidos. As grandes cidades do mundo fazem suas maratonas como uma forma das pessoas verem e sentirem o que há de mais bonito nelas, toda vez que vejo alguma foto da maratona de Roma, vejo os corredores à frente do Coliseu. Como não posso falar nada de maratona posso falar que entrar no meio da Av. Paulista, por exemplo, depois de trilhar 14,5 Kms de São Silvestre foi para mim uma emoção muito grande.

Já corri três vezes no Minhocão, e embora não ache o melhor lugar do mundo para correr, pois é um lugar fechado demais para bater algum vento para refrescar, por outro lado é bem legal, ver o pessoal nas janelas dos apartamentos vendo os corredores passar, como minha velocidade ainda não é tão grande, esse ainda é um prazer bem interessante destas corridas. Por isso que correr essas provas que a prefeitura fez foi bem interessante também, minha esposa fala que uma das coisas que ela pensava era onde acabavam as ruas que ela passava, e onde outras ruas levavam, e foi uma oportunidade rara de conhecer algumas destas ruas e de correr em algumas ruas do Perus, do final da Inajar de Souza na Freguesia do Ó e da Casa Verde e matar a curiosidade em ver a vida por trás de toda paisagem bonita ou feia que se veja.

Nós como caçadores de corridas baratas, corremos 15 Km neste último final de semana em Barueri, tive essa mesma experiência, embora hajam algumas ruas que não são tão bonitas assim, foi legal passar nessas ruas e ver o pessoal em casa vendo a gente passar, alguns esperando todos os corredores passar para sair, ir à igreja, passar à frente de uma Igreja Presbiteriana Independente aberta para Escola Dominical indiferente ao que acontecia, uma igreja Deus é Amor meio vazia instalada numa garagem com uma senhora orando no púlpito e um cachorro no corredor entre as cadeiras. Coisas que não via há muito tempo, foi um cenário que mostra a simplicidade da vida que a gente muitas vezes despreza no dia a dia.


Cadê minha locadora?

No começo das eras, meu pai comprou um video cassete da mitsubishi e minha idéia de locadora era a video norte que tinha inaugurado no final da Avenida Nova Cantareira (hoje é uma escola de inglês), tinha que enfrentar 20 minutos de ônibus até lá, mas era a única locadora decente da região. A Video Norte começou a crescer e a aparecer em vários pontos da Zona Norte (e acho que até fora da Zona Norte, se não me engano), e à medida que me mudava, tinha um Video Norte perto para alugar uma fita, algum cartucho do Master System, depois do Mega Drive, e ultimamente um DVD.

Depois, cheguei a ser sócio de uma Video Norte na Av. Nova Cantareira ao lado do Arcos (hoje é uma loja de móveis), depois de uma unidade no Posto da Av. Santa Inês, fora isso tinha uma outra unidade na Av. Voluntários da Pátria, hoje estas duas unidades fecharam e estão vagas e fiquei sem locadora, tinha três carteirinhas da Video Norte na carteira e hoje não servem para nada. Nos últimos anos eu não alugava muito filme, recorria ao Pay per View da Net quando o tempo dava, mas quando tinha que utilizar um filme específico para algum encontro, era para eles que recorria, talvez meus hábitos atuais refletiam o por quê deles fecharem. Ia escrever um post como Video Norte in memorian mas vi que eles ainda tem algumas unidades em Santana, Guarulhos e Freguesia do Ó, boa sorte a eles!

Só penso agora em um plano B para quando precisar de um DVD na próxima vez.


IMAGES AND WORDS

A little bit of everything

Action Phase

Reviews e notícias sobre jogos de tabuleiro! Novatos, veteranos, curiosos e entusiastas: sejam bem vindos!

O Velhinho do RPG

Um blog dedicado a RPG, Board Games, Quadrinhos e nerdices em geral.

Coffee with the King

Daily bible study notes by Tim MacBride

nós ponto três

design.gastronomia.triathlon

Fernando Asdourian

Bem vindos, aqui alguns causos e umas aventuras esportivas por ai.

NOSSO DIÁRIO DE TREINO

Informações sobre treinos e corridas de rua

Godspacelight

Spirituality, Sustainability, Hospitality and Community

Hearts and Minds

O que não muda é que tudo muda.

Memoriola

Just another WordPress.com weblog

Poesia no Caos

O desconhecido ainda está por vir...

Carlos Toledo em Ação

vivendo o dia a dia

life: caffeinated

sharing life & coffee together